Muita gente já ouviu falar em Lightning Network – ou apenas Lightning -, mas não sabe muito bem como esse sistema é capaz de criar uma revolução no mundo das criptomoedas.

Para fazer uma analogia, imagine um banco na década de 90 ou início dos anos 2000. Praticamente todas as suas operações só poderiam ser feitas em horário comercial.

Com a chegada da tecnologia isso mudou, e hoje você pode fazer tudo o que precisa fora do horário comercial por meio do seu App do banco, não é mesmo?

O Lightning Network é uma espécie de solução para agilizar as transações com Bitcoin, facilitando a vida de todos os usuários.

O que é Lightning Network?

Lightning Network é um sistema construído na base da tecnologia blockchain que tem como finalidade a realização de transações mais rápidas e baratas.

Com isso, ela ajuda o Bitcoin a ser uma moeda mais acessível no dia a dia, já que micro pagamentos ficam mais fáceis, rápidos e baratos.

Afinal, a Blockchain do Bitcoin pode ser considerada lenta e cara por alguns. Isso acontece, pois, quando uma pessoa decide enviar Bitcoin para outra, esse processo demora em média 10 minutos e é necessário pagar uma taxa para os mineradores – essa taxa é variável, pois depende do congestionamento da rede.

Sendo assim, qualquer nova ideia que procure resolver o problema da não escalabilidade da Blockchain, ou seja, que faça transações mais rápidas e baratas, chama atenção – e a Lightning é uma delas.

Qual é o problema que a Lightning Network visa melhorar?

Lembrando que a Blockchain é um registro que possui diversos blocos contendo várias transações.

Quando um bloco é preenchido com as transações, eles precisam ser juntados com o registro antes de começar as transações do próxima bloco.

Além disso, antes que o bloco possa ser adicionado ao registro, também há alguns procedimentos que precisam ser concluídos para que todos concordem com o conteúdo que foi transmitido.

Todo esse procedimento leva aproximadamente dez minutos para cada bloco. A transação contém informações sobre o remetente, destinatário, montante e a taxa que será paga.

Vale destacar que essa taxa não é fixa. Você faz o pagamento para incentivar os mineradores e, se quiser ter transações mais rápidas, deverá pagar uma taxa mais cara.

A todo instante, há diversas transações disponíveis para entrarem no bloco atual. Desse modo, os mineradores precisam decidir quais delas vão ser inclusas. Para ajudá-los a decidir, eles analisam as que possuem recompensas maiores.

Então, se existir muitas transações com taxas maiores que a sua para preencher o bloco, a sua deverá esperar na fila. Por isso, ela pode durar minutos ou até mesmo horas.

É justamente por essa razão que a Blockchain do Bitcoin pode ser vista como lenta e cara por alguns. Sendo assim, a adoção do Bitcoin em massa implicaria no aumento de novas transações, fazendo com que a rede fique mais lenta.

Assim, uma das soluções potenciais para acabar de vez com esse problema é a Lightning Network.

Como a Lightning Network pode resolver o problema?

A Lightning Network parte do princípio de que nem todas as transações precisam ficar gravadas na Blockchain. Assim, dois usuários da rede abrem um canal de pagamento, gravando a abertura na Blockchain.

Nesse caso, esses usuários poderiam fazer todas as transações desejadas através deste canal de pagamento, que poderá permanecer aberto por horas, dias ou até décadas.

Desse modo, o único momento em que os usuários entrariam novamente em contato com a Blockchain seria na hora de fechar o canal. Então, posteriormente, escreveriam o estado final das transações que ocorrem por meio da Blockchain.

Imagine 3 usuários: Carlos, André e Israel. Se Carlos e André possuírem um canal de pagamento aberto entre eles, e André e Israel tenham outro, então Carlos pode enviar dinheiro para Israel por meio de André. Essa é a ideia por trás da Lightning Network.

Por isso, como não é necessário que as transações entrem em contato com a Blockchain, elas acontecem de maneira muito veloz.

Posteriormente, os canais poderão ser encerrados e cada um ficará com as quantias de bitcoin levando em conta as últimas transações.

Como funcionam os canais de pagamento?

Os canais de pagamento são uma espécie de cofre de segurança no qual dois usuários fariam o depósito de uma quantidade de dinheiro (ou apenas um dos lados faz o depósito) e cada um colocaria um cadeado nele.

Assim, essa ação de depositar o dinheiro é registrada na Blockchain sob o aspecto de “transação inicial”. Sequencialmente, um canal de pagamento é aberto entre as duas pessoas.

Elas passam então a usar o dinheiro depositado no cofre. Vamos imaginar o exemplo de Carlos e André.

Considere que eles depositaram 1 BTC cada no cofre. Se Carlos quiser enviar 0,5 BTC para André, ele precisa transferir uma promessa de propriedade, deixando claro que esses 0,5 BTC pertencem a André.

Caso queiram desfazer o cofre (fechar o canal), Carlos irá retirar 0,5 BTC e André, 1,5 BTC. Porém, eles podem continuar transacionando por bastante tempo – quando, enfim, decidirem fechar o canal, o “saldo” final será levado em conta.

Como usar a Lightning?

O Biscoint é uma das primeiras corretoras do Brasil a integrar a rede Lightning em sua plataforma.

Para fazer parte, basta se inscrever no Beta, clicando aqui.

No menu do app, você pode clicar no botão “Lightning” para sacar seus bitcoins e fazer transferências sem taxas!

Acompanhe a Biscoint para aprender mais sobre o mundo cripto:

-> Instagram

-> YouTube

-> Blog

Author

Sou Analista de Marketing do Biscoint e fascinado por novas tecnologias e criptomoedas (eu sei que todo mundo que fala sobre Bitcoin diz isso, mas no meu caso é verdade).

Write A Comment