É sempre muito difícil definir o valor das coisas. Se fosse simples, o mercado de capitais não existiria: se todos soubéssemos qual o real valor de uma ação, não haveria oscilação no preço e ninguém ganharia nada com ela em carteira. Isso também vale para o Bitcoin e todo o mercado cripto.

Num primeiro momento pode parecer um pouco confuso, pois se você pesquisar “Bitcoin valor” no Google, ele vai te mostrar que um bitcoin vale R$280.298,00 ou US$38.320,00 no momento em que esse texto foi escrito (26 de janeiro de 2021). Como podemos afirmar, então, que não se sabe ao certo qual o valor do Bitcoin?

Leia mais:

-> Acesse nosso dicionário de Bitcoinês, com os principais termos do mercado.

Diferença entre valor e preço

Warren Buffet

De acordo com Warren Buffet, um dos maiores investidores de todos os tempos, “por algum motivo, as pessoas se baseiam nos preços e não nos valores. Preço é o que você paga. Valor é o que você leva”.

É claro que o algoritmo do Google não é inteligente como Buffet, por isso os dois termos são sinônimos para ele.

Para deixar um pouco mais claro, “preço” é “o mínimo necessário para se obter algo” e “valor” é “o máximo que se pode obter de algo”.

Vamos imaginar um casal de namorados no cinema. O mínimo que eles devem pagar para entrar na sala são os R$20 do ingresso para cada, por exemplo. Já para a pipoca e o refrigerante, é necessário mais R$50. Dessa forma, o passeio ao cinema custou R$90. Esse foi o preço, ou seja, o mínimo que necessitaram pagar a fim de obter algo.

Contudo, qual o valor desse passeio? Depende.

O filme foi bom? A noite foi agradável? A imagem e o som estavam bons? Tiveram um momento legal juntos?

Para nós, que estamos olhando de fora, é difícil definir qual foi o valor desse momento juntos, pois não participamos.

Desse modo, críticos do Bitcoin e do mercado cripto em geral dizem que “está caro”, “não vale nada”, etc. Essas pessoas são incapazes de perceber o valor do Bitcoin, uma vez que não são elas que estão “dentro” do momento. São telespectadores, vendo a felicidade alheia sem participarem. Enxergam o Bitcoin como um número em uma tela, não como tudo o que ele verdadeiramente representa.

Como participar do Bitcoin e enxergar o seu valor?

Entendendo o ativo (e abrindo sua conta no Biscoint).

Simples, não? Explicarei melhor.

No exemplo do cinema, por que somos incapazes de definir qual foi o valor do passeio? Porque não participamos, isto é, não entendemos o que significou. Tudo o que vimos foi um casal assistindo um filme, mas há algo além disso que não está visível para os nossos olhos. No caso do cinema, é preciso usar seus sentimentos; no Bitcoin, a razão.

Para te ajudar a enxergar o valor do Bitcoin, vamos apresentar dois grandes problemas que ele ajuda a resolver. Não são apenas eles que conferem valor à moeda, mas acreditamos que entendê-los já é uma ótima porta de entrada.

Inflação

Um dos principais problemas que estamos enfrentando atualmente no Brasil e no mundo em geral é a inflação. Basta ir ao supermercado ou ao posto de gasolina e observar que os preços estão altos e, pior, não param de aumentar.

A inflação é ocasionada pela emissão de moeda de um país. Como o economista Mises bem explica em seu “As seis lições”, “se a quantidade de dinheiro aumenta, o poder de compra da unidade monetária diminui, e a quantidade de bens que pode ser adquirida com uma unidade desse dinheiro também se reduz”.

Agregado monetário M1 do Brasil: a soma das cédulas e moedas em poder do público e em depósitos à vista no sistema bancário. Fonte: Trading Economics
Ludwig von Mises

Com o gráfico acima, é fácil entender o porquê de a inflação na pandemia estar tão alta: a impressão de dinheiro por parte dos governos aumentou drasticamente a partir de 2020.

Em 1959, o mesmo Mises apresentou qual era a única opção contra a inflação na época: “o padrão-ouro tem uma extraordinária virtude: na sua vigência, a quantidade de dinheiro disponível é independente das políticas governamentais e dos partidos políticos. Essa é a sua vantagem. Constitui uma forma de proteção contra governos gastadores”.

Se naquela época houvesse Bitcoin, afirmo com certeza que Mises o preferiria mais do que o ouro: o Bitcoin, além de ser alheio às políticas governamentais, também não é possível de ser descoberto como o ouro. Afinal, não se sabe ao certo quanto ouro há na Terra, mas sabemos que somente 21 milhões de bitcoins vão existir (leia mais aqui).

Dessa forma, pode-se afirmar que o Bitcoin é a melhor arma para se lutar contra a Inflação, que assola tantas famílias, principalmente as mais pobres.

Liberdade

Novamente, Mises afirmou que “liberdade econômica significa, na verdade, que é dado às pessoas que a possuem o poder de escolher o próprio modo de se integrar ao conjunto da sociedade”.

A partir desse pensamento, enxergamos que o Bitcoin pode proporcionar cinco tipos de liberdade:

Liberdade econômica

Fila de banco. Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil.

A partir do Bitcoin, surgiram plataformas e ecossistemas que possibilitam diversos serviços descentralizados.

Já pensou em pegar um empréstimo sem passar pelas exigências, burocracias e juros elevados de um banco convencional?

Isso já é possível através de plataformas DeFis. Você não tem mais as amarras dos serviços bancários tradicionais.

Liberdade geográfica

O Bitcoin te possibilita ser o seu próprio banco. Assim, você consegue levar todo o seu capital para onde quiser.

No passado, refugiados fugiam de suas terras após trocarem suas riquezas por joias e relógios caros. O objetivo era facilitar o transporte de capital para o destino.

Hoje, só é necessário colocar os bitcoins numa wallet segura e armazenar ou até mesmo decorar as chaves privadas.

Liberdade monetária

O Bitcoin não está sujeito às vontades dos burocratas e banqueiros centrais.

Dessa forma, você tem uma alternativa ao uso das moedas envenenadas e infladas dos bancos centrais.

Liberdade financeira

Apesar de esse não ser o objetivo principal do Bitcoin, é fato que muitas pessoas alcançaram a liberdade financeira através dele.

Tendo em vista sua tese de investimento e seus fundamentos, é muito provável que mais e mais pessoas o utilizem para mudar suas vidas financeiras de patamar ao longo dos anos.

Liberdade de propriedade

O Bitcoin é a personificação da propriedade: nada é mais inconfiscável do que ele.

Terras, ouro, imóveis, etc. podem ser tirados de você através da força.

Ações e outros ativos financeiros podem ser tirados de você simplesmente porque fazem parte de um mercado centralizado, submisso aos desejos dos burocratas.

Se você tem as chaves privadas das suas moedas, ninguém te toma.

O real valor do Bitcoin

Agora, fica o questionamento: quanto vale algo que te afasta do risco Brasil? Qual o valor de algo que te protege das ações políticas que nem sempre visam o bem comum? Quão valioso é um ativo que você sabe que não pode ser duplicado em hipótese alguma? Quanto vale um sistema monetário decente? Quanto vale a sua liberdade financeira?

Conclusão

Em suma, já que valor é o máximo que se pode obter de algo, é difícil falar qual o valor do Bitcoin. Como ele nasceu em 2008, suas aplicações ainda estão sendo desenvolvidas e a cada dia observamos inovações cada vez mais incríveis – como El Salvador adotando-o como moeda oficial e o Twitter permitindo o envio de satoshis.

De qualquer forma, o valor do Bitcoin é a sua liberdade, pois ele proporciona liberdade econômica, geográfica, monetária, financeira e de propriedade. Além disso, ele destrói grandes malefícios da sua saúde financeira, como a inflação.

Por causa de tudo isso, o Bitcoin não tem preço.

Acompanhe a Biscoint para aprender mais sobre o mundo cripto:

-> Instagram

-> YouTube

> Blog

Author

Sou Analista de Marketing do Biscoint e fascinado por novas tecnologias e criptomoedas (eu sei que todo mundo que fala sobre Bitcoin diz isso, mas no meu caso é verdade).

Write A Comment