O termo “Blockchain” surgiu há alguns anos e tem gerado muitas dúvidas:

“O que é Blockchain?”

“Blockchain e Bitcoin são a mesma coisa?”

É exatamente isso que vai descobrir ao ler esse post.

O significado de Blockchain, em tradução livre, é “Corrente de Bloco”.

Isso significa que todas as transições são registradas em uma série de blocos de forma contínua, gerando uma cadeia de blocos.

Você deve estar se perguntando… Mas o que isso tem a ver com criptomoedas? A resposta é simples: Tudo!

A Blockchain surgiu no ano de 2008, no artigo acadêmico mais importante para o universo das criptomoedas: o whitepaper que originou o Bitcoin.

Este artigo foi escrito por Satoshi Nakamoto, o criador desconhecido do Bitcoin. 

No artigo, a Blockchain é descrito da seguinte forma:

Uma rede que marca o tempo das transações, colocando-as em uma cadeia contínua no ‘hash’, formando um registro que não pode ser alterado sem refazer todo o trabalho.

Satoshi Nakamoto

Desse modo, todas as transações realizadas são seguras e imutáveis.

Então, caso ocorra uma tentativa de fraude ou exista uma falha técnica, isso não será um problema, pelo fato dos registros serem feitos em uma sequência de blocos de informações.

Sendo assim, para se alterar uma transação, seria necessário alterar todas as anteriores.

Dessa forma, uma adulteração seria logo invalidada e o seu registro não efetivado.

O histórico das transações se mantém vivo em todos os computadores dessa cadeia de blocos – chamados de “nós” -, que estão espalhados pelo mundo inteiro.

Nesse exemplo, cada computador representa um “nó”. Todos eles estão conectados entre si e nenhum é mais forte que o outro. Por isso, a rede é descentralizada.

A Blockchain de forma resumida:

Antigamente, quando você fazia uma compra no mercado, as pessoas do caixa escreviam em um caderno o seu registro de compra.

Exemplo: Dia 07/01, José comprou e pagou R$10,00.

Esse era o famoso Livro Contábil, um caderno com duas colunas em que se escreve os ganhos de um lado e os gastos do outro.

A Blockchain nada mais é do que um grande Livro Contábil que qualquer um pode ler.

Depois que a transação é realizada, ela é escrita nesse livro pelos mineradores. Por isso, eles recebem uma taxa como recompensa.

Assim, o conjunto dessas transações formam os chamados “blocos” (block), que estão todos interligados criando uma “corrente” (chain) entre eles.

O mais importante é que esses blocos são invioláveis, pois, para fazer uma única alteração, é preciso modificar todos os blocos anteriores, fazendo com que o processo de mineração seja totalmente seguro.

Leia mais:

-> Quantos bitcoins existem (e quantos vão existir)?

-> O que é Ethereum e como ele fará parte da sua vida?

Fonte: Entertainment.

Como e por que surgiu a Blockchain?

A Blockchain surgiu em meados de 2008 como a tecnologia responsável pela transação de bitcoins.

Seu objetivo é um sistema tecnológico descentralizado e seguro. Sendo assim, a blockchain não é tão rápida quanto alguns meios centralizados, como um pagamento com cartão de crédito.

A ideia de Satoshi Nakamoto era criar um novo jeito de se lidar com o dinheiro de forma diferente do que era comum naquela época. 

A maior conquista é: diferente de qualquer outro sistema de transações financeiras, se algum tipo de falência ou abuso de poder acontecer, todo o seu investimento está seguro.

Com o crescimento da busca por informações sobre Bitcoin, entender sobre a Blockchain é muito importante para compreender a importância e a segurança das transações do Bitcoin.

Portanto, a tecnologia da Blockchain também utilizada para outras transições.

Além da rede Bitcoin, outras Blockchains famosas são Ethereum e Solana.

A Blockchain e o Bitcoin na prática – Como funciona?

01 – Carlos quer enviar um valor em Bitcoin para João.

02 – Essa transação é representada por um bloco onde estão todos os detalhes desse ativo.

03 – O bloco é distribuído em pequenas partes para todos os “nós”.

04 – A rede verifica se a transação é válida.

05 – Após a aprovação, o bloco é adicionado à corrente de blocos e ganha um registro permanente. Ele não pode ser alterado.

06 – Agora, aqueles Bitcoins pertencem ao João.

Todo o processo é registrado de forma pública, através de códigos e criptografia. Ou seja, mesmo sendo público é extremamente seguro.

A Blockchain é segura?

Sabe essa corrente de blocos? Ela não possui um dono e não pertence a lugar nenhum, ela está espalhada pelo mundo inteiro nos “nós”, formando essa grande corrente.

Isso faz com que a Blockchain seja um sistema descentralizado. Ou seja, não responde a intervenção de nenhuma jurisdição.

Além disso, a Blockchain possui diversas camadas de seguranças. Quando o sistema reconhece que alguém está tentando invadir, ele trava e bloqueia essa ação.

A Blockchain é segura. 

Portanto, não é possível roubar bitcoins na Blockchain.

Se é tão seguro por que existem casos de perda de Bitcoin?

Então, a blockchain é tão segura que todas as transações de Bitcoin são feitas através de uma chave de segurança que não pode ser trocada. 

Entretanto, pode acontecer que o portador dessa chave de segurança a perca e não consiga mais ter acesso aos bitcoins.

Logo, sempre recomendamos aos nossos usuários que guardem essas informações com segurança.

Deseja investir em Bitcoin?

Se você se interessou por esse mercado, abra sua conta gratuita na Biscoint clicando aqui e compre Bitcoin pelo jeito mais rápido, fácil e barato do Brasil.

Acompanhe a Biscoint para aprender mais sobre o mundo cripto:

-> Instagram

-> YouTube

> Blog

Write A Comment